Poesia

Nonexistent Nº 0

thinking__by_darkangelp26

Eu devo ter lepra
Deve ter pintado “imbecil”
Tatuado em minha testa “repugnante”

Não só me ignora o amor e toda essa baboseira que cantam por aí sobre ele
Mas até amizade me é negada, companheirismo ignorado
Posso tomar meu veneno em paz, ninguém vai me salvar

I need some reason to kiss your mouth
But I haven’t no one to infect my lips with your disease
Escarros… eles estão vindo por aí

Alguém chegou a dizer que sentia saudades de meu romantismo exarcebado
Sinto informar esse pobre diabo imbecil
Mas eu cansei de espremer meu travesseiro idealizando o impossível

Prefiro me afundar num mar de macarrão
Ficar preso entre vermes nematódeos e platelmintes
Morrer de overdose de ascaridíase ou esquistossomose sentimental

Pessoas morrem toda hora por falta dessa droga
A abstinência da paixão é mais assassina que sua overdose
Por isso ultimamente andam se matando e ajudando a matar outros lá fora e na nossa esquina

Mas ninguém me ajuda a me embriagar até desmaiar em coma apaixonante
Não vale a pena ser ridículo com esses versos babacas, essas taças de tolice
Pode por fogo na adega, vamos! E não se esqueça de me trancar lá dentro do incêndio assassino

Johnnÿ D.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s